Como trabalho com vidro (Fused Glass ou Fusão de vidros), sempre sou questionado como o vidro é feito, porém não é uma pergunta simples de se responder, uma vez que existem diversos tipos de vidro (composição química diferente) e várias técnicas de fabricação, alguns são fabricados a partir de matéria prima virgem (sem material em reuso), outros já utilizam boa parte de sua composição vidro (reuso) não apenas com intuito de reciclagem, mas também para abaixar o ponto de fusão (semelhante ao alumínio).

Do ponto de vista químico o vidro usado em Neons (os tubos luminosos coloridos), são diferentes do cristal (vidro com chumbo na composição) e também do usado em garrafas e o float.

Existem ainda outros tipos de vidro que são fabricados a partir de vidro plano (float), como é o caso do fused (ou fusing) e o vidro temperado por exemplo.

Nesse momento vamos nos ater ao float, que é o vidro plano usado em janelas que conhecemos bem.

O float, teve sua composição criada com o objetivo de ser usado na construção e permitir a tempera (endurecimento), haja vista que o processo consiste de forma geral em aquecer o vidro até uma determinada temperatura e provocar um choque térmico controlado, proporcionado ao vidro a dureza característica, bem como sua fragmentação em pequenos pedaços pouco cortantes.

Composição Química do Vidro Float

  • 72% – Sílica (SiO2) – Matéria prima básica (areia) com função vitrificaste
  • 14% – Sódio (Na2SO4)
  • 9% –  Cálcio (CaO) – Proporciona estabilidade ao vidro contra ataque de agentes atmosféricos
  • 4% – Magnésio (MgO) – Garante resistência ao vidro para suportar mudanças bruscas de temperatura e aumenta a resistência mecânica
  • 0,7% – Alumina (Al2O3) – Aumenta a resistência mecânica
  • 0,3% – Potássio (K2O)

Composição dos vidros fabricados pela Cebrace.

A sucata de vidro é usada para auxiliar a fusão, depois de limpa e selecionada,

Os vidros coloridos são produzidos acrescentando-se à composição corantes como o selênio (Se), óxido de ferro e cobalto para atingir as diferentes cores.

Agora assista ao vídeo abaixo com o processo fabril.