Já faz alguns anos que elas vêm ganhando espaço nas oficinas brasileiras. As parafusadeiras aceleram o trabalho, não importando qual. no começo elas eram pesadas e tinham pouca potencia, com o tempo foram ficando mais leves e ganhando “músculos”, já passando dos 100Nm (Newton/metro).

Do ponto de vista alimentação elas são divididas em três categorias: Elétricas, a bateria e pneumáticas.

Por serem completamente distintas por vários aspectos, não falaremos das pneumáticas nesse momento.

Encontrar defensores para as duas categorias é fácil e quase sempre um debate entre ambos mais parece torcedores de times de futebol defendendo as cores da sua camisa, pura paixão.

O intuito é tentar avaliar de forma direta e simples os prós e contras de cada modelo de forma a ajudar interessados na aquisição da sua sonhada parafusadeira sem que haja arrependimentos futuros.

Abaixo farei uma breve análise o diferencial de cada uma, sendo que o quesito avaliado foi a fonte de alimentação (rede elétrica x bateria).

Parafusadeira elétrica

Elas são mais comuns em oficinas de ferramentas, eletrodomésticos e eletrônicos (as populares Assistência Técnica ou AT), porém nada impede de serem usadas em outros setores.

Prós:

  • Preço – sem o custo extra da bateria elas geralmente são mais baratas
  • Autonomia – nesse quesito elas são imbatíveis, salvo locais onde não exista uma tomada elétrica compatível com a tensão por perto. Mesmo com a evolução das baterias e sua velocidade de carga ainda sim as elétricas são superores nisso.
  • Resistência – ok! Isso é relativo e depende do zelo de cada um, porém uma bateria exposta ao sol pode deteriorar, ou uma pequena queda quebrar o encaixe, coisas que as elétricas não têm.

 

Parafusadeira a bateria

 

Cada vez mais comuns e com preços mais acessíveis elas vem tomando conta do mercado e a liberdade é o grande atrativo das parafusadeiras a bateria.

No mercado nacional é possível encontrar desde as marcas tradicionais até as desconhecidas com nomes impronunciáveis.

Prós:

  • Liberdade – sem fios presos a tomadas o trabalho fica mais confortável;
  • Variedade – as marcas tradicionais como makita, dewalt e milwaukee principalmente tem trazido para o Brasil o que tem de melhor e isso é bom para o consumidor que pode escolher a que melhor lhe atenda.

 

De modo geral as parafusadeiras elétricas são mais indicadas para quem irá trabalhar em um ponto fixo por longos períodos e quem não gosta de se preocupar com a carga ou cuidados com as baterias e ainda que as novas de Li-ion sejam menos exigentes no quesito cuidados especiais, ainda sim é um elo fraco no conjunto e uma grande dor de cabeça quando se precisa de uma nova.

Para quem deseja comprar uma parafusadeira à bateria um dos pontos que merece atenção é o numero de baterias que acompanham o kit, o ideal é que sejam duas ou mais, para que dessa forma a tarefa não seja interrompida por falta de carga.

E ainda que a maior parte dos usuários tenha preferência por bateria ainda existem aqueles que prefiram as elétricas.

Pessoalmente possuo uma de cada e não abro mão de nenhum dos modelos.