Destaque Marcenaria

MDF Vilão ou Mocinho

MDF Vilão ou Mocinho

É bem provável que você tenha um móvel de MDF em sua casa ou no trabalho.

Também deve ter notado que esse material dominou o setor moveleiro nacional nas ultimas décadas.

Há quem goste e quem odeie.

Eu prefiro sempre ter uma visão analítica e critica sobre tudo. Com base nisso gostaria de convidá-lo para uma reflexão sobre os impactos do MDF na marcenaria brasileira.

Listei três pontos positivos e três negativos desse tão controverso material.

Pontos Positivos:

Agilidade na produção

Sem dúvida alguma é o grande divisor entre madeira e MDF

Para o cliente é bom porque tem seu móvel mais rápido

Para o marceneiro é bom porque aumenta a capacidade de produção

Veja como fazer seu próprio aplicador de cola de contato

Qualidade geral do acabamento

Como as chapas saem prontas da fábrica e o acabamento se resume a poucas etapas essa fase fica mais simples e com alguns cuidados mesmo um marceneiro iniciante tem bons resultados. Uma chapa decorada só necessita de cuidados com o manuseio, uma boa lâmina de serra e aplicação de fita de bordo.

Padronização

Diferente da madeira que cada tábua é única, no MDF todas as chapas do mesmo modelo e fabricantes serão iguais isso dá segurança ao cliente quanto ao resultado final do móvel contratado na marcenaria ou o escolhido na loja e ao mesmo tempo dá segurança ao marceneiro que não precisa se preocupar se o cliente irá gostar ou não daquele veio ou tonalidade diferente que surgiu na usinagem da madeira

Impacto ambiental

Sei que aqui haverá controvérsias o que é natural já que cada um tem um ponto de vista, mas me permita expressar a minha defesa.

O MDF é produzido com madeira de reflorestamento que apesar de ocupar uma área que um dia foi mata nativa permite a preservação de outras áreas de floresta em função do ciclo de crescimento acelerado de arvores como eucalipto e pinus.

Além disso, na indústria moveleira a taxa de desperdícios caiu drasticamente, uma fabrica de moderna atua com menos de 3% de desperdícios em função da padronização do material e design.

Chega de defender e vamos ao ataque:

Centralizou a base do processo em poucos fornecedores

Como não são muitos fabricantes de chaparia, o preço, o estilo, as cores da matéria prima e por consequência do mobiliário fica a critério deles, ou seja, a pouco espaço para criatividade. Basicamente uma combinação de módulos com “meia-dúzia” de cores e texturas disponíveis

Como é feito o MDF – Confira como é o processo de fabricação do MDF

Baixou o nível da marcenaria

Aqui estou falando de técnicas tradicionais e até milenares que não tem emprego no MDF e por isso cai em desuso e no esquecimento.

Ah quem dirá: “Ah! Isso faz parte da evolução”.

Posso até considerar Inovação afinal mudou todo um setor produtivo, já Evolução eu discordo.

Deixar de lado conhecimento e técnicas que ainda funcionam não é evoluir.

Não gosto de ficar preso ao passado e aceito mudanças, mas pense comigo, se não existe mais o Mestre Marceneiro, a figura humana que faz a diferença o que impede a completa erradicação do profissional de marcenaria?

Quantos postos de emprego não serão perdidos?

Elimina o conceito de Mestre Marceneiro

Afeta a historia do mobiliário

Um móvel de madeira pode passar de geração em geração levando consigo histórias de uma família, de um período de tempo e até de um povo.

Através de um mobiliário é possível identificar se pertencia a uma família rica ou pobre, qual era o estilo artístico e até em que país fora fabricado.

Por outro lado um móvel em formado de caixa fabricado em MDF pode ter sido fabricado no Brasil ou na Europa que não fará a menor diferença, sem contar a durabilidade dele.

Eu duvido que nos museus em 2050 tenham móveis de MDF fabricados em 2020

Gostaria de saber sua opinião sobre o tema, deixe seu comentário.

Abraços


Adilson Pinheiro

Aos três anos ganhei meu primeiro serrote e desde então sou apaixonado por ferramentas e produção. Designer autodidata, vidreiro e artesão, acima de tudo apaixonado por ferramentas e o que com elas podemos fazer. Atualmente compartilho o que aprendi em 37 anos desde o serrotinho em meu blog e canal no Youtube.

Comentários

  1. Sempre é bom ver e ouvir você. Sempre tem algum ensinamento. Parabéns

    ROBERTO SOARES CABRAL em 17/09/2020
    • Obrigado Roberto.
      Abraços

      Adilson Pinheiro em 17/09/2020
  2. Oi Adilson. Gosto muito de ver seus vídeos no youtube, embora esteja engatinhando na produção em marcenaria, já aprendi bastante coisa com seus vídeos e de outros colegas da área, vocês estão de parabéns. Quanto ao seu comentário, concordo em tudo que disse, principalmente no que tange a função de Mestre Marceneiro, diga se de passagem é uma arte antiga e nobre. Daqui a pouco não será passado este saber, bastará apenas saber usar uma serra de mesa, uma aplicadora de fita de borda e pronto, taí um “marceneiro”. Já o tal MDF, pode ser moderno, ter suas facilidades de uso etc e tal, mas particularmente, acho um lixo, me nego a comprar móveis desse material. Principalmente se um vendedor falar pra mil de boca cheia “esse armário é 100% MDF”, como se fosse a melhor coisa do mundo. Repito para mim é um lixo. Não dura nada, principalmente em locais com umidade. Ora, se na maioria das casa de humildes brasileiros, principalmente daqueles que sofrem com inundações, o que mais tem é umidade, esses “móveis” são totalmente descartáveis. Aliás, não precisa nem ter umidade, basta desmontar, já que arrastar para se fazer uma pintura na parede ou coisa do tipo, pronto, não consegue mais montar com a firmesa de antes. É isso meu amigo, deculpe-me por me alongar e boa sorte em suas produções. Abs.

    José Paulino em 26/09/2020
    • José Paulino, não tem o que pedir desculpas, gostei muito de suas considerações e são totalmente verdadeira na minha opinião.
      EU tenho móveis de MDF e MDP em casa, essa semana mesmo comprei um armário multiuso, mas sempre avalio questões como preço e solução do problema.
      Como não iria conseguir parar para fazer um armário de compensado agora, o jeito foi comprar, sem contar que paguei menos que me custaria só o material para fazer rsrs

      Abraço

      Adilson Pinheiro em 01/10/2020